Em 2020 o Brasil era o 14° país do mundo em termos de potência instalada de energia solar.

Energia solar é um termo que se refere à energia proveniente da luz e do calor do Sol.

É utilizada por meio de diferentes tecnologias em constante evolução, como o aquecimento solar, a energia solar fotovoltaica, a energia heliotérmica, a arquitetura solar e a fotossíntese artificial.

Tecnologias solares são amplamente caracterizadas como ativas ou passivas, dependendo da forma como capturam, convertem e distribuem a energia solar. Entre as técnicas solares ativas estão o uso de painéis fotovoltaicos, concentradores solares térmicos das usinas heliotérmicas e os aquecedores solares.


Entre as técnicas solares passivas estão a orientação de um edifício para o Sol, a seleção de materiais com massa térmica favorável ou propriedades translúcidas e projetar espaços que façam o ar circular naturalmente.


Em 1897, Frank Shuman, um inventor e engenheiro estadunidense, pioneiro da energia solar, construiu um pequeno motor de energia solar de demonstração que funcionava ao refletir a energia solar para caixas quadradas cheias de éter, que tem um ponto de ebulição mais baixo do que o da água, e era equipado internamente com tubulações pretas que por sua vez alimentavam um motor a vapor. Em 1908, ele criou a Shuman Power Company Sun com a intenção de construir usinas de energia solar de maior dimensão.


A energia solar no Brasil tinha capacidade instalada de 10,3 GW em julho de 2021. Em 2020 o Brasil era o 14° país do mundo em termos de potência instalada de energia solar (7,8 GW). Do total da matriz energética brasileira, 1,6% é produzido através sistemas solares fotovoltaicos.


O movimento da geração de energia solar é incentivado por regulamentações que permitem que os sistemas sejam cada vez mais usados para reduzir a conta de energia no final do mês e diminuir os poluentes lançados ao meio ambiente.


Com uma taxa de crescimento anual de aproximadamente 40% para o mercado durante os próximos cinco anos – conforme apontado pelas empresas Jinko Solar e Solar Power Europe – podemos projetar um forte crescimento na geração de energia solar no país. A matriz energética favorece essa perspectiva.


As associações preveem que que o Brasil pode instalar cerca de 10,1 GW de energia fotovoltaica até e 2023. Segundo os autores, a energia solar instalada no país pode crescer de 2,34 GW em 2018 para 12,5 GW no final de 2023.


Impostos de importação zerados

O governo brasileiro anunciou em julho de 2020, uma medida que zera o imposto de importação sobre alguns equipamentos voltados à geração de energia solar. A quantidade de componentes isentos de imposto de importação chega a 109.


Os equipamentos de energia solar terão os impostos de importação zerados até o final de 2021, conforme a previsão do governo. Isso torna a adoção da tecnologia ainda mais vantajosa. É uma oportunidade de crescimento exponencial para todo o setor.


Entre os produtos com isenção de taxas estão: inversores fotovoltaicos, conversores estáticos para sistemas solares e amortecedores de trackers. Também entram na lista os rastreadores solares, que são aproveitados em grandes usinas para acompanhar a posição do sol, o que aumenta a produtividade da unidade.


Embora projetos de grande porte devam ser os mais beneficiados com a isenção, o setor também auxilia os sistemas de energia solar menores, que são instalados em residências ou prédios comerciais, por exemplo.


Perspectiva de longo prazo

Mesmo com os desafios consequentes da pandemia pela Covid-19, o Brasil está vivendo o seu melhor ano em termos de expansão da energia solar fotovoltaica.


Crescem as expectativas enquanto o crescimento do mercado de energia solar, tanto para 2021 quanto para os próximos anos. Com mais facilidades para adquirir os sistemas, o acesso a geração de uma das energias mais limpas está cada dia mais presente na vida da população.


A energia solar fotovoltaica deve passar por uma expansão significativa no Brasil nos próximos 30 anos e atingir até 90 GW apenas em geração centralizada, de acordo com o Plano Nacional de Energia 2050.


Conheça 5 novidades em energia solar


Células de energia solar a partir de vegetais

Em virtude do apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), foi possível desenvolver um estudo para a produção de energia elétrica a partir de células solares que utilizam pigmentos vegetais extraídos de plantas amazônicas, como açaí, bujuju, jenipapo, urucum, murtinha e crajiru.


As células de energia solar, extraída por vegetais, são fotossensibilizadas por corantes vegetais, que substituem os corantes sintéticos à base de metais pesados. Ou seja, estamos falando de uma alternativa sustentável de baixo custo para a geração de energia elétrica, que pode ser implementada por materiais orgânicos como fontes renováveis de energia.


Painel solar portátil

O painel solar portátil foi elaborado por meio de um novo projeto chamado ‘SunUp’, que se trata de uma mochila totalmente projetada para ser leve e maleável, ao mesmo tempo em que otimiza a captação da luz do sol por meio de um pequeno painel acoplado na parte de cima. Ela pode carregar sua bateria interna de 4000mAh em 12 horas de maneira eficiente por meio de um painel de 15 W. Portanto, é possível garantir a carga completa de equipamentos eletrônicos menores, proporcionando mais segurança e conforto para os mochileiros que utilizam a tecnologia.


Barco movido a energia solar

Essa tecnologia contribui para a redução dos impactos ambientais, visto que seu intuito é diminuir cada vez mais a utilização de combustíveis que emitem gases poluentes, tornando a geração de energia sustentável e limpa.


Usina Solar flutuante

A primeira usina solar flutuante do mundo está sendo desenvolvida na Holanda e estima-se que seu funcionamento iniciará no ano de 2022 e será construída na água, levando o nome de Zon-op-Zee - “Sol no Mar” em português. Sua edificação levará, aproximadamente, três anos e está sendo elaborada em parceria com centros de pesquisa especializados da Holanda, da União Europeia e o governo de Amsterdã.


Com 2,5 mil metros quadrados de painéis solares instalados no mar, a usina solar flutuante possui localização que garante 15% a mais de eficiência em relação às usinas convencionais instaladas em terra firme.


Posto de combustível auto suficiente

Além de ser uma fonte de energia renovável, esse sistema tem ficado cada vez mais acessível a estabelecimentos que desejam gerar economia na conta de energia e se preocupam com o meio ambiente, possibilitando a responsabilidade social como um dos seus diferenciais de mercado.


Com a tendência dos postos de combustíveis terem, cada vez mais, grandes lojas de conveniência, o valor da conta de energia também aumenta proporcionalmente, aumentando os custos. Outra tendência nos próximos anos são as bombas elétricas, para os carros elétricos, que também proporciona o aumento na conta de energia elétrica.



MARKETING AGRO METAL MECÂNICA

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo