Em 2020 o Brasil era o 14° país do mundo em termos de potência instalada de energia solar.

Energia solar é um termo que se refere à energia proveniente da luz e do calor do Sol.

É utilizada por meio de diferentes tecnologias em constante evolução, como o aquecimento solar, a energia solar fotovoltaica, a energia heliotérmica, a arquitetura solar e a fotossíntese artificial.

Tecnologias solares são amplamente caracterizadas como ativas ou passivas, dependendo da forma como capturam, convertem e distribuem a energia solar. Entre as técnicas solares ativas estão o uso de painéis fotovoltaicos, concentradores solares térmicos das usinas heliotérmicas e os aquecedores solares.


Entre as técnicas solares passivas estão a orientação de um edifício para o Sol, a seleção de materiais com massa térmica favorável ou propriedades translúcidas e projetar espaços que façam o ar circular naturalmente.


Em 1897, Frank Shuman, um inventor e engenheiro estadunidense, pioneiro da energia solar, construiu um pequeno motor de energia solar de demonstração que funcionava ao refletir a energia solar para caixas quadradas cheias de éter, que tem um ponto de ebulição mais baixo do que o da água, e era equipado internamente com tubulações pretas que por sua vez alimentavam um motor a vapor. Em 1908, ele criou a Shuman Power Company Sun com a intenção de construir usinas de energia solar de maior dimensão.


A energia solar no Brasil tinha capacidade instalada de 10,3 GW em julho de 2021. Em 2020 o Brasil era o 14° país do mundo em termos de potência instalada de energia solar (7,8 GW). Do total da matriz energética brasileira, 1,6% é produzido através sistemas solares fotovoltaicos.


O movimento da geração de energia solar é incentivado por regulamentações que permitem que os sistemas sejam cada vez mais usados para reduzir a conta de energia no final do mês e diminuir os poluentes lançados ao meio ambiente.


Com uma taxa de crescimento anual de aproximadamente 40% para o mercado durante os próximos cinco anos – conforme apontado pelas empresas Jinko Solar e Solar Power Europe – podemos projetar um forte crescimento na geração de energia solar no país. A matriz energética favorece essa perspectiva.


As associações preveem que que o Brasil pode instalar cerca de 10,1 GW de energia fotovoltaica até e 2023. Segundo os autores, a energia solar instalada no país pode crescer de 2,34 GW em 2018 para 12,5 GW no final de 2023.


Impostos de importação zerados

O governo brasileiro anunciou em julho de 2020, uma medida que zera o imposto de importação sobre alguns equipamentos voltados à geração de energia solar. A quantidade de componentes isentos de imposto de importação chega a 109.


Os equipamentos de energia solar terão os impostos de importação zerados até o final de 2021, conforme a previsão do governo. Isso torna a adoção da tecnologia ainda mais vantajosa. É uma oportunidade de crescimento exponencial para todo o setor.


Entre os produtos com isenção de taxas estão: inversores fotovoltaicos, conversores estáticos para sistemas solares e amortecedores de trackers. Também entram na lista os rastreadores solares, que são aproveitados em grandes usinas para acompanhar a posição do sol, o que aumenta a produtividade da unidade.


Embora projetos de grande porte devam ser os mais beneficiados com a isenção, o setor também auxilia os sistemas de energia solar menores, que são instalados em residências ou prédios comerciais, por exemplo.